Tango em Buenos Aires: lugares para dançar ao ar livre

5

Para celebrar a chegada da Primavera, nada melhor do que dançar um tango ao ar livre, com o ventinho no rosto ou iluminado pela luz da lua. Abaixo, algumas das minhas milongas preferidas para a estação. Todas são lugares descontraídos, onde as regras são mais flexíveis como mencionei na coluna anterior de Dicas para dançar nas Milongas de Buenos Aires. Aqui vale tirar diretamente pra dançar, dançar de tênis e dançar homem com homem e mulher com mulher, sem que isso tenha que ver com a opção sexual de cada um. Ou seja, são lugares por si só mais livres!

Importante: como quase todas estas milongas não cobram entrada, e sim passam o “chapéu” no meio do baile para que a gente colabore, sugiro que todos deixem uma quantia proporcional ao esforço que significa armar tudo isso. Ou seja, um agradecimento de verdade e não moedas.

Dito isso, a divertir-se!

Practica Parque Patricios

Esse é um dos meus lugares preferidos para dançar tango em Buenos Aires, onde “bato ponto” todos os sábados a partir do momento em que o calorzinho dá seus primeiros sinais. Esta prática é realizada na praça principal do bairro de Parque Patrícios (Subte H) e armada no braço – literalmente – pelo amigo Jean Pool. Todos os fins de semana ele leva as cadeiras, o piso, o som e os músicos para garantir que este espaço democrático, bem de bairro, se mantenha ao longo do tempo. Ambiente super informal, com vizinhos mateando ao redor da pista. No finalzinho da tarde, se passa o tradicional “chapéu” e quem puder colabora com alguns pesos. Há classes gratuitas antes da prática. Entrada grátis.  (Praça de Parque Patrícios – SÁBADO – 16h)

Practica Patricios _ Gisele Teixeira

Practica Patricios / source

La Glorieta

Do outro lado da cidade, em Belgrano, se realiza a milonga La Glorieta – um lugar único para dançar tango em Buenos Aires. Acontece num coreto construído em 1910, antigamente usado por bandas de música, e recentemente reformado. É aberta a todo o público e tem entrada gratuita. Durante o inverno funciona aos sábados e domingos e, no verão, todos os dias.  (11 de Septiembre, entre Sucre e Etcheverria – SÁBADO E DOMINGO)

La Glorieta

La Glorieta / source

Milonga Placita del Panuelo Blanco

O nome oficial é esse, mas todo mundo chama essa milonga de Milonga del índio, pois ela é organizada por Pedro “El Indio” Benavente, bailarino e professor que há anos comanda o lugar. Se realiza todos os domingos, a partir das 19h, na Plaza Dorrego, em San Telmo. Enquanto de um lado os donos das bancas de antiquários começam a desarmar seus postos, do outro se monta a pista e se acendem as luzinhas coloridas que indicam que a festa vai começar, mesclando turistas e habituês. Uma delícia para fechar o fim de semana. A entrada é à la gorra, ou seja, você paga o que puder quando passa o chapéu.(PRAÇA DORREGO – DOMINGO)

Zona Tango

Esse é um dos melhores segredos que compartilho hoje. Anotem na agenda, apareçam! Todas as quartas-feiras, Fernando Bietti abre as portas de sua própria casa para uma milonga que já é um clássico. Salas e pátio viram salão de baile, com direito a música ao vivo e projeções de filmes nas paredes dos prédios ao lado. Frequentada especialmente pelos alunos do Centro Educativo de Tango de Buenos Aires (CETBA), onde eu estudo. Ambiente super informal. Vinho, empanadas e Fernet!  (Venezuela, 2937 – QUARTA-FEIRA)

Milonga del Patio

É realizada só uma vez por mês, no pátio da Casa del Bicentenário. Iniciativa solidária, que tem como objetivo recolher alimentos para organizações comunitárias. O lugar é bacana, a música é boa e sempre há casais de bailarinos convidados. Não se suspende por chuva! (Riobamba 954 – PRIMEIRO DOMINGO DO MÊS)

Milonga da Universidad del Tango

Organizada pelos alunos de terceiro ano do Centro Educativo del Tango de Buenos Aires (CETBA), mais conhecido como Universidade do Tango, em sua sede no bairro de Almagro. Entre setembro e abril, e sempre e quando o tempo permite, a milonga acontece no pátio da escola, ao ar livre. Ambiente acolhedor para quem está aprendendo. Às vezes com música ao vivo, mas sempre com muita alegria e amor. Para dançar tango em Buenos Aires de um jeito diferente! (Agrelo 3231 – PRIMEIRA SEXTA DO MÊS)

Milonga da Universidad del Tango

Milonga da Universidad del Tango / source

Autora: Gisele Teixeira. Brasileira, jornalista formada pela Universidade Federal de Santa Maria e “cidadã do mundo” como se auto descreve. Autora do blog Aqui me Quedo, vive em Buenos Aires já a cinco anos e esta terminando seus estudos no Centro Educativo del Tango de Buenos Aires. Apaixonada pelo tango, Gisele é nossa blogueira convidada para contar quinzenalmente um pouco mais do tango, suas técnicas, regras e outros segredos!  Para ler outros textos de Gisele visite o Aqui me Quedo.