O Carnaval no Uruguai e suas Influências Africanas

0

As Celebrações de Carnaval na América do Sul são tradicionalmente associadas com o Rio de Janeiro, o Carnaval Porteño em Buenos Aires, e o Carnaval de Barranquilla, na Colômbia. As festividades nesta época do ano, no menor país do continente, o Uruguai, podem ser menos conhecida, ainda que permaneçam vibrantes, coloridas, e deslumbrantemente expressivas. Enquanto o Carnaval no Uruguai é um assunto nacional, a folia principal ocorre na capital: Montevidéu. Milhares de foliões se fantasiam e vão às ruas, os dançarinos locais e internacionais rodam em trajes de lantejoulas, fogueiras brilham no ar da noite, e tambores vibram ao estrondoso ritmo africano conhecido como “Candombe” – esta festa anual traz uma alegria incansável para a cidade.

O Carnaval no Uruguai carrega uma forte tradição baseada na cultura africana. / Fonte

A história do Carnaval no Uruguai está enraizada na cultura africana do país, que surgiu pela primeira vez em meados da década de 1700 quando Montevidéu foi um importante porto comercial de navios trazendo escravos africanos para região do Rio de la Plata. Apesar de vir das mesmas terras, os escravos pertenciam a grupos étnicos miríades e juntos careciam de uma identidade comum. Eles ansiavam por seu patrimônio musical, práticas religiosas, velhos hábitos, e pátrias distantes. Quando o Uruguai aboliu a escravidão, esses homens e mulheres se reuniam em casas localizadas em bairros pobres e contavam histórias sobre suas origens por meio da música e dança. Alguns mestres também permitiam que os seus trabalhadores realizassem festas extravagantes em que eles poderiam celebrar sua cultura africana.

As festividades cresceram em popularidade e uma vez que a liberdade dos escravos foi concedida, as comunidades africanas começaram a organizar cada vez mais eventos espetaculares em bairros pobres, os mais proeminentes Sur e Palermo. Os sons únicos do Candombe – reconhecido pela UNESCO como Patrimônio Cultural da Humanidade – foram usados para reunir as pessoas, dando origem a Las Llamadas (as chamadas), que são um aspecto importante do Carnaval atual.

O fenômeno moderno do Carnaval no Uruguai começou em 1956, e tem, desde então, um destaque no calendário cultural do país. Em tempos mais recentes, o Carnaval foi ganhando atenção no palco internacional graças, em grande parte, ao estilo distinto do Candombe. Este reconhecimento tem dado um novo impulso ao crescente movimento cultural negro do país e também aumentou a conscientização sobre a história dos afro-uruguaios.

Celebrando o Carnaval na praça central de Montevideu / Fonte

Muito do brilho e glamour em exposição no evento presta homenagem às comunidades de escravos africanos de uma era passada – as roupas, a maquiagem e a música proporcionam sutis referências às histórias de repressão; homens brancos decoram-se com a pintura da cara preta; e as mulheres brancas don vestuário tradicional africano. As classes étnicas e sociais se unem para acender Montevidéu por 40 dias e noites simplesmente mágicas.

Você quer viver estas celebrações uruguaias? Nós enriquecemos sua experiência de viagem pela América do Sul.

Reserve aqui os melhores passeios no Uruguai

Por Simon Hall / Adaptado por Luiza Cavalcante